Busca por Assunto

Situações de emergência relativa que podem ser resolvidas pela própria paciente

Este capítulo é o oposto do anterior, e foi escrito para tranqüilizar e ajudar a gestante que se apavora e se desespera frente a problemas bastante simples. Estas situações são muito comuns na vida de qualquer pessoa, mas passam a ter uma conotação especial por causa do período pelo qual atravessa a gestante, e no qual a atenção deve ser redobrada.

As situações de emergência acontecem subitamente e não podem ser previstas. As gestantes, quando passam por certas situações, sentem-se inseguras e pensam, algumas vezes, que ela ou o bebê estão correndo risco de vida, como, por exemplo, no caso de uma hemorragia. Situações como gripe, tosse e dores de cabeça moderadas não são consideradas emergências. Entretanto, se a situação for realmente incômoda, não havendo possibilidade de esperar pelo dia da consulta, é importante que a gestante saiba como resolver o problema. Convém saber como entrar em contato com o médico ou a maternidade estipulada pelo obstetra que a acompanha. Cada clínica ou cada profissional têm a sua própria maneira de atender às gestantes que estão em situação de emergência. Por isso, logo na primeira consulta, a gestante deve perguntar ao médico como proceder nesses casos.

Anote no espaço abaixo o que fazer em situações de emergência

Situações de emergência relativa que podem ser resolvidas pela própria paciente
Grávida Feliz Grávida Feliz