Busca por Assunto

Cuidados maternos após o nascimento do bebê

Alterações psico lógicas

Nesta fase, a mulher passa por momentos de intensas emoções. O parto é a grande ruptura, pois, a partir dele, o bebê não faz mais parte do corpo da mãe, é agora, um ser indefeso e totalmente dependente de seus cuidados para sobreviver. Esta vivência é muito intensa, podem surgir sentimentos confusos e muito cansaço. Além disso, as solicitações do bebê costumam ser muito freqüentes, o sono dos pais fica irregular, o que contribui para o maior estresse do casal. A tarefa de amamentar, no início, é difícil, pois a produção de leite da mãe leva uns dias para equilibrar-se com a necessidade do bebê. A puérpera experimenta momentos de insegurança e medo, principalmente em se tratando do primeiro filho. Depois que a adaptação se estabelece, todos serão recompensados e viverão muitas alegrias e prazeres.

Inicia-se, então, um processo de conhecimento através da Comunicação Não-Verbal. Gradualmente, vai-se familiarizando com o novo ser, criando apego por aquele que acaba de chegar, e este processo nem sempre resulta naquele imaginado durante a gestação. A mãe entra em um estado capaz de se identificar com o bebê, isto é, colocar-se no lugar dele, e sentir quais são suas necessidades básicas.

O bebê se expressa por movimentos corporais, expressões faciais e pelo choro - a forma que tem de demonstrar tudo que lhe incomoda.

A criança tem necessidade de colo, pois acaba de sair do ventre da mãe. Sua adaptação ao mundo ocorre gradualmente, e nesses primeiros tempos sente-se ainda pertencente ao corpo materno. Ela vai se desligando aos poucos, ao longo de seu desenvolvimento.

Não é uma tarefa fácil suprir as necessidades de um recém-nascido; exige tempo e paciência, e principalmente, requer que os pais "aprendam a olhar o mundo pelos olhos de seu filho". Às vezes, pode ser difícil satisfazer as necessidades de estímulos sensoriais, porém, se esses estímulos forem correspondidos ativamente, renderão muitos dividendos na vida futura do bebê. Os recém-nascidos precisam viver a dependência, ser atendidos em todas as suas necessidades, pois são seres totalmente dependentes. Conseqüentemente, acreditarão no mundo e tornar-se-ão independentes, seguros e curiosos em descobrir tudo a seu redor. É nesta fase, que o bebê desenvolve a confiança básica. A partir dos cuidados que recebe, obtém segurança. E quando apresentados a um mundo amigável, desenvolvem a confiança, garantindo, assim, a base de sua personalidade.

O aleitamento materno possibilita que a separação brusca do nascimento não seja brusca e sim gradual. A criança só aos poucos irá sendo apartada de sua antiga existência uterina. Quando a mãe amamenta por bastante tempo e por diversas vezes, o mundo da criança ainda consiste, principalmente, em seu calor, apoio e movimento, de sua pulsação, de sua voz e de sua química corporal. É a partir daí que a criança adquire a compreensão de seu novo mundo; de diferentes temperaturas, texturas, luzes e sons. É da base familiar fornecida pelo corpo materno, que o bebê constrói o universo.

Grávida Feliz Grávida Feliz