Busca por Assunto

Perguntas e Respostas

Preservação da Fertilidade (Prevenção e Proteção)

Todas as mulheres e homens planejam, de um modo geral, ter um dia, a sua própria família. A maioria das pessoas acredita que terão seus filhos assim que desejarem. Entretanto, milhões de casais no mundo têm dificuldades em engravidar e só descobrem o motivo pelo qual não conseguem quando procuram um profissional qualificado após meses de tentativas. É bom saber que muitos dos problemas causadore desta dificuldade podem ser prevenidos desde a adolescência.

1) O cigarro pode prejudicar a fertilidade?
R: Sim, tanto no homem como na mulher. No homem está comprovado que causa alterações na concentração, morfologia e motilidade dos espermatozoides, além de provocar danos ao DNA dos mesmos. Homens fumantes têm probabilidade maior de demorar mais de um ano para engravidar suas mulheres. Mesmo em tratamentos de fertilização assistida, os resultados positivos são inferiores quando comparados a homens não fumantes. Quanto às mulheres, estudos demonstram que a chance de engravidar nesses tratamentos é 30% menor em mulheres fumantes. O cigarro afeta a motilidade tubária, aumenta o índice de gestação ectópica (gravidez tubária), diminui a qualidade dos óvulos e pode levar à antecipação da menopausa.

2) Que sugestões sã;o importantes para deixar de fumar?
R: O vício do cigarro é considerado por alguns como uma doença. Enquanto a pessoa não admitir isso, ela não consegue parar. O ideal é nem começar. As dicas são:


a) determinação: determine o dia que você vai parar e respeite a sua decisão;
b) não abra exceção; de forma alguma balbucie a frase: “só uma tragadinha, pois hoje é tal comemoração”; 
c) peça ajuda: comunique a sua decisão a seus amigos e familiares mais próximos;
d) evite companhias de pessoas fumantes – amigos fumantes podem ser uma tentação. Evite festas, pois também podem ser tentação para uma recaída.
e) faça exercícios: eles podem diminuir a vontade de fumar, além de controlar o estresse.

3) Drogas ilícitas, como maconha, cocaína e heroína, prejudicam a fertilidade?
R: Está comprovado que a maconha, após 5 anos de consumo, diminui a qualidade de espermatozoides. Na mulher, tanto a cocaína como a heroína causam alterações hormonais e diminuem a motilidade tubária e a chance de gravidez.

4) As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) podem causar infertilidade?
R: O comportamento sexual de risco tem relação direta com a dificuldade futura em ter filhos, pois aumentam as chances das DSTs. Infecções como a Clamídia podem causar obstrução tubária. Nos homens, podem ocorrer obstruções irreversíveis dos epidídimos. Outras bactérias também podem provocar processo inflamatório nos órgãos reprodutores, prejudicando o seu funcionamento. O problema do diagnóstico das DSTs é que frequentemente não causam sintomas e podem coexistir com o indivíduo de forma assintomática, resultando em Doença Inflamatória Pélvica (DIP) que atinge os órgãos genitais, prejudicando a anatomia, podendo ser irreversível. O diagnóstico, muitas vezes, é feito tardiamente quando os danos já foram causados.

Qual é a forma de prevenção das DSTs?
R: O preservativo (camisinha) é a melhor forma, desde que sejam usados da maneira correta. É importante que os parceiros discutam essa preocupação e, na suspeita de qualquer contaminação, procure um médico especialista para o acompanhamento e cura do processo.

6) O peso pode interferir na fertilidade?
R: Sem dúvida nenhuma. Tanto o peso acima como o peso abaixo do ideal são prejudiciais à fertilidade. Isso vale para as mulheres e para os homens também.

7) Como é possível saber se uma pessoa está fora do peso ideal?
R: O peso ideal é medido pela quantidade de gordura existente no corpo. Essa avaliação é fornecida pelo Índice de Massa Corpórea (IMC). O cálculo tem a mesma interpretação em todo o mundo, e é feito pela seguinte fórmula:

                               P (peso em kg)
IMC = _________________________________________
               A2 (altura em metros elevada ao quadrado)

1o Exemplo:
Se uma mulher tem a estatura igual a 1,65m e pesa 75kg.

              75            75
IMC = ________ = ________ = 27,54 = sobrepeso
          (1,65) 2     2,7225

2 o exemplo:
Determinado homem tem estatura igual a 1,90cm e peso 100kg.

            100            100
IMC = ________ = _______ = 34,60 = obeso
           (1,70)2       2,64

8) Como é interpretada essa fórmula?
R: É interpretada da seguinte maneira.
IMC inferior a 20 - abaixo do peso
IMC entre 20 a 25 - peso ideal
IMC entre 25 a 30 - sobrepeso
IMC entre 30 a 40 - obeso
IMC superior as 40 - obesidade mórbida

9) Qual é o IMC ideal?
R: O ideal é estar entre 20 e 25, podendo ser aceitável até 30. Homens e mulheres que têm IMC abaixo de 20 ou acima de 30 terão sua fertilidade prejudicada. Alguns estudos demonstram que homens com IMC maior do que 25 têm maior índice de fragmentação do DNA do espermatozoide, o que pode levar a falha no processo de fertilização. A obesidade masculina pode levar ainda a alterações hormonais. Na mulher, tanto o excesso como o peso inferior ao normal, associado ao exagero de exercícios, interfere no ciclo hormonal. O balanço energético negativo, comumente encontrado em bailarinas, atletas e pacientes com restrição alimentar é responsável por perturbações menstruais.

10) Que sugestões seriam importantes para o controle do excesso de peso?
a) Procure um profissional qualificado que possa elaborar uma dieta compatível com seu estilo de vida.
b) Evite fazer compras em supermercados quando estiver com fome ou acompanhado de alguma criança.
c) Beba água – no mínimo 2 litros por dia. Ela ajuda a acelerar o seu metabolismo, diminui a retenção hídrica e previne a prisão de ventre.
d) Fracione sua alimentação diária de 3 em 3 horas. Entre as grandes refeições (café da manhã, almoço e jantar) intercale frutas ou barras de cereal.
e) Não coma carboidratos após às 18 horas. Somente proteínas, verduras e legumes.
f) Coma sempre sentado à mesa, nunca em pé, no quarto ou na sala vendo televisão.
g) Coma devagar. Mastigar bastante dá tempo de ter a sensação de saciedade.
h) Não coma enquanto estiver fazendo outras coisas como: dirigindo, vendo TV ou lendo. Concentre-se e preste atenção no que está comendo.
i) Faça exercícios – recomenda-se um programa compatível com a sua condição física.
j) Lembre-se: primeiro você faz os seus hábitos, depois eles fazem você.

11) Quais os outros fatores importantes que podem prejudicar a fertilidade?
R: Sempre que uma jovem tiver cólica em excesso deve ser pesquisada a endometriose (veja capítulo 9). O diagnóstico precoce e o tratamento podem evitar danos importantes ao sistema reprodutivo, além de proporcionar melhor qualidade de vida. Um ginecologista pode avaliar a necessidade ou não de uma pesquisa mais detalhada. Álcool, café e exercícios em excesso podem também prejudicar a fertilidade. Aos homens, cuidado com exposição ao calor próximo à bolsa escrotal (sauna, cozinheiros, soldadores etc), pois pode prejudicar a qualidade do sêmen.

12) A idade da mulher e do homem são importantes no futuro da fertilidade de cada um?
R: A idade cronológica da mulher afeta muito mais a fertilidade do que no homem. Enquanto o homem pode ter filhos até 70 ou 80 anos, apesar da queda relativa de fertilidade, a mulher perde progressivamente a sua capacidade de engravidar, após os 38 ou 40 anos. Não que seja impossível mas, sem dúvida, conforme o tempo passa, fica cada vez mais difícil. A preservação da fertilidade pode ser feita, tanto no homem como na mulher, pelo congelamento de suas células sexuais (espermatozoides e óvulos).

Para o homem é muito mais fácil a coleta, pois é feita pela masturbação, e a recuperação depois do descongelamento oferece bons resultados. O congelamento preventivo dos espermatozoides é realizado somente em situações especiais como o caso da vasectomia, caso o homem queira garantir o seu futuro reprodutivo, se vier a casar novamente, ou em situações de doenças malignas, quando deverá ser submetido a tratamentos oncológicos (quimioterapia ou radioterapia) que poderão prejudicar a formação dos seus espermatozoides. Na mulher, a preservação da fertilidade pelo congelamento de óvulos não é tão simples, pois necessita de estimulação ovariana com hormônios. Muitas delas, ao alcançar a idade ao redor de 35 anos, ainda não têm o homem escolhido para ser pai de seus filhos e ficam aflitas com a proximidade dos 40 anos, quando a fertilidade diminui.

O congelamento de óvulos pode ser uma alternativa que tranquiliza e diminui a ansiedade, pois ao preservá-los dessa maneira, eles poderão ser fertilizados em data oportuna. Mesmo que essa mulher venha se casar aos 45 anos, os seus óvulos mais jovens estarão preservados com uma constituição cromossômica jovem. Há também menor chance de abortamentos e de causar malformação em seus filhos. A recuperação dos óvulos após o congelamento e a sua posterior fertilização já é tão eficaz como a dos espermatozoides e, por isso, tal procedimento deve ser indicado a todas as pacientes que tenham consciência das chances em se conseguir a gravidez após o seu descongelamento. A cada dia, com os avanços tecnológicos, a probabilidade de sucesso aumenta e, por isso, essa proposta não deve ser avaliada. Da mesma forma que no homem, a preservação da fertilidade deve ser considerada em tratamentos oncológicos que podem prejudicar o ovário. Tanto o congelamento de óvulos como o congelamento do tecido ovariano podem ser, nesses casos, úteis na preservação da fertilidade. têm o homem escolhido para ser pai de seus filhos e, ficam aflitas com a proximidade dos 40 anos, quando a fertilidade diminui.
O congelamento de óvulos pode ser uma alternativa que tranqüiliza e diminui a ansiedade, pois ao preservá-los desta maneira, eles poderão ser fertilizados em data oportuna. Mesmo que esta mulher venha se casar aos 45 anos, os seus óvulos mais jovens estarão preservados com uma constituição cromossômica jovem. A também, uma chance menor de abortamentos e de causar malformação em seus filhos. Infelizmente a recuperação dos óvulos e a sua fertilização não é tão eficaz como a dos espermatozóides e por isso, tal procedimento deve ser indicado àquelas pacientes que tenham consciência das chances em se conseguir a gravidez após o seu descongelamento. A cada dia, com os avanços tecnológicos, a probabilidade de sucesso aumentam e, por isso, esta proposta não deve ser avaliada. Da mesma forma que no homem, a preservação da fertilidade deve ser considerada em tratamentos oncológicos que podem prejudicar o ovário. Tanto o congelamento de óvulos como o congelamento do tecido ovariano podem ser, nesses casos, úteis na preservação da fertilidade.

Mulheres que se preocupam com a perda de fertilidade com a idade
Mulheres que estão próximas aos 35 anos e não tem ainda escolhido o pai dos seus futuros filhos.
O congelamento de óvulos evita a angústia da perda da fertilidade com o passar dos anos
Casos de Câncer
Mulheres que serão submetidas a tratamento de radioterapia e quimioterapia poderão guardar seus óvulos para serem fertilizados após o término do tratamento
História familiar da menopausa precoce
Mulheres com história familiar poderão garantir o seu futuro reprodutor caso venham ter a menopausa precocemente
Fertilização - in Vitro com óvulos excedentes
Ciclos de identificação de óvulos que têm óvulos em excesso poderão ter parte deles congelados por ciclos futuros. Caso não sejam necessários, serão descartados sem problemas éticos.